Cansou das maratonas e quer dar aquele salto para as Ultras? Esse texto é pra você!

25.01.2018

A vontade de ingressar na ultramaratona foi quando fiz a maratona do Rio de Janeiro em 2011, eu tinha 34 anos, assim me apaixonei por longa distância e resolvi encarar o Xterra Ilha Bela 50km, onde me consagrei campeã da prova.

 

Hoje vou discutir com vocês sobre essa escolha.

 

Como já tinha acumulado a experiência e os treinos da maratona, e havia feito algumas provas de montanha curtas, ficou um pouco mais fácil migrar para esta modalidade.

Nosso corpo precisa de uma maturação biológica pois estas provas são de endurance e exigem maior esforço físico.

 

Para uma maratona de rua treinamos velocidade, colocamos volume e um trabalho de fortalecimento muscular global. Ótimo, isso já é meio caminho andado, mas um fator tão importante quanto os demais é o psicológico.

Se não for treinada, a mente pode te levar ao fracasso.

 

Você vai precisar aprender a correr com uma mochila que deve conter sua hidratação, alimentação e medicação (kit de primeiros socorros), itens obrigatórios em provas de endurance.

Divida seu treino entre asfalto, terrenos acidentados e trilhas, pois devemos treinar técnicas de corrida em diferentes terrenos.

 

Quando participo dessas provas, entro com um único objetivo: terminá-la bem e no tempo limite. Tiro o foco dos outros corredores. Em corridas de longa distância, tentar acompanhar um adversário pode servir de estímulo como também pode ser desastroso pois como dura muitas horas corremos o risco de quebrar durante a prova.

 

A importância dos treinos longos

 

Neles vamos trabalhar o psicológico, se adaptar a mochila e testar a melhor alimentação para a prova. Estude a prova, converse com corredores que já tenham concluído o desafio que você está disposto a encarar. Esse feedback é importantíssimo para criar estratégias para sua prova.

 

O que eu pontuo sempre e passo para os meus alunos é que em provas de longa distância na montanha, precisamos aprender a ser autossuficientes.

Estamos correndo em meio a natureza, o que não é um ambiente controlável, diferente das corridas de asfalto onde existe um suporte melhor, pois é mais fácil de planejar uma estrutura de apoio.

 

Fiz uma prova em Minas Gerais de 80km com mais de 2.600m de altitude e a completei em 19 horas sendo que no quilômetro 30, tive ruptura parcial de ligamento do tornozelo porque tropecei numa raiz.

O socorro médico só chegaria no dia seguinte porque estava muito longe da base de apoio então peguei meu kit de primeiros socorros (Obrigatório) e um amigo me ajudou a fazer uma bota de esparadrapo para continuar.

 

Percebe a importância de ser autossuficiente nestas provas?!

 

O trail-run é uma modalidade que está crescendo muito aqui no Brasil, o que

eu acho incrível, mas como qualquer outra modalidade tem que haver um cuidado e uma atenção de treinadores, atletas e organizadores de provas. É um triangulo bem complicado...rs existem muitas provas e camps acontecendo pelo Brasil, muitos treinadores que participaram de provas de endurance e que podem te ajudar muito na escolha da prova. Fica a critério do aluno escolher, mas como atleta amadora ( e sim, mesmo sendo professora) tive como técnico um professor que já fez muitas provas de endurance (Sidney Togumi). Saber que o professor passou e viveu tudo que você vai passar em uma prova desta me deu muito mais segurança.

Os circuitos de trail estão melhorando bastante, se você está bem treinado a margem de erro fica menor.

 

Portanto treine orientado, faça um trabalho de fortalecimento muscular sério, e principalmente, TREINE A SUA CABEÇA, o seu cérebro manda em tudo!

 

Ótimos treinos e boa sorte na sua 1ª ultramaratona!

 

Vera Saporito - @vesaporito

Please reload

Posts Recentes

Please reload

Siga

  • YouTube Long Shadow
  • Facebook Long Shadow
  • Instagram Social Icon