Power Talk - Rio 2016: As novidades da Powerade para os Jogos Olímpicos

Na manhã de sábado (16/7) no Rio de Janeiro a marca de isotônicos Powerade

Brasil convidou um grupo seleto de influenciadores para contar sobre suas novidades para os Jogos Rio 2016, o Power Talk, com a presença da equipe de marketing e comunicação, além de um especialista em biomecânica e o ex-atleta da Seleção Brasileira de Vôlei Nalbert.

 

A marca trouxe inovações para os Jogos do Rio, dentre elas um site com formato interativo sobre as ações dos atletas – quebras de recordes, passadas, gasto de energia, força utilizada, saques, lances, arremessos, etc – todas as informações estarão inseridas em cards fáceis de entender e compartilhar.

 

O site que a Powerade criou, foi uma parceria com a emissora ESPN, na qual terá uma programação específica no SportsCenter, com os dados das “anormalidades” realizadas pelos atletas. A intenção da marca é colocar o atleta no patamar de cavaleiro, aquele que persiste e avança ao objetivo de ganhar a batalha.

Batalha essa considerada o teste, provação de ser capaz de estar ali, ou melhor, provar ser o diferenciado em meio aos outros guerreiros, atuando por fim, de maneira incontestável. A quebra do recorde mundial perdurando anos a ser batido, o atleta mais desprezado, do país sem tradição ir e conquistar a medalha.

A surpresa para a multidão que jamais acreditou naquele cavaleiro, porém ele treinou, persistiu, confiou em si para ganhar a batalha e mostrar a todos a possibilidade de um cavaleiro ser coroado rei, criando um legado.

 Vídeo da Campanha

Responsável pelo Marketing da Powerade mostrando as novidades ao grupo

 

O responsável pelo marketing da Powerade Brasil contou que o objetivo é tornar o leitor mais próximo do atleta, mostrar a ele a bravura, lealdade e a vontade do cavaleiro no campo de batalha. Mostrou que o site tem um caráter único, em vez de recordes e medalhistas, dão-se características de quem no campo de batalha está necessariamente sujeito, tais como as citadas anteriormente.

 

Para mostrar as técnicas de avaliação dos atletas, o biomecânico Luis Mochizuki, professor da USP, mostrou como um atleta se comporta e supera seus limites atingindo níveis surpreendentes jamais imaginados.

Usando dados do ilustre convidado Nalbert – eternizado no Hall da Fama do Vôlei em 2014,campeão olímpico em Atenas 2004 e capitão da Seleção Brasileira durante oito anos – mostrou o esforço durante uma partida em que Nalbert foi campeão.

Analisando os dados de força do saque – equivalente a nove toneladas de peso utilizado na partida -, quantidade de energia gasta, conseguiria deixar quatro lâmpadas LED acesas por uma hora – surpreendeu o próprio ex-jogador: “Nove toneladas? Não sabia! Poxa, talvez por isso ganhamos o jogo”, brincou Nalbert..

 

O professor Luis acrescentou – “Com essa tecnologia de análise de desempenho, conseguimos prever lesões, saber o quanto um atleta pode se esforçar, qual seu limite e o quanto deve se alimentar para repor vitaminas e outros ingredientes que nosso corpo perde na pratica da atividade física”.

 

“Se essa tecnologia existisse na época que eu era atleta, jogaria até hoje”, interrompe Nalbert, colocando todos na gargalhada, já que sua carreira durou ao todo 20 anos.

 

Mas as novidades não acabam por aí.

 

Uma torre/cooler diferenciada para a disputa dos Jogos Paraolímpicos foi criada para facilitar o acesso dos atletas na hora de se hidratar.

 

Ao centro coloca-se gelo e a facilidade se encontra na hora de retirar as garrafas, que estão postas em um suporte que ao mesmo tempo gela a bebida. É como se fosse um carrinho de feira: pequeno, fácil de conduzir e melhor, mantém os atletas hidratados com isotônico.

 

O squeeze é outro produto feito especialmente para os atletas olímpicos e paralímpicos, trata-se de uma garrafa na qual o bico sempre fica aberto. O que? Como assim? Não vaza? A inovação se dá pela aspiração na saída do líquido, quando não mais aspirar, o bico se comprime deixando o líquido no interior dentro do squeeze, sem vazamento.

Somente os atletas e voluntários dos Jogos Rio 2016 terão acesso à tecnologia, no

entanto, como fomos convidados a experimentar e conhecer as novidades, ganhamos um e especialmente com nosso nome. 

 

Mão na massa, ou melhor, pés no pedal.

 

Os convidados foram testados em uma bicicleta ergométrica, a fim de utilizarem nossos dados para melhorar a performance nas atividades físicas, em especial no ciclismo, da mesma maneira que os atletas serão testados na Rio 2016.

Com uma tecnologia nova, a academia Body Tech Jardim Botânico no Rio de Janeiro, coloca você em um ambiente virtual, no qual escolhe até mesmo um uniforme para um avatar ao mesmo tempo em que você corre contra os outros alunos. Todo um cenário, nos colocava em estradas cariocas.

Aula de Indoor Cycling com programa Spivi.com logo na sequência da apresentação com o professor Philipi Tavares

 

Vídeo da aula

 Vídeo: Blog atividade360

 

Logo após a aula, recebemos um “diagnóstico” de nosso desempenho e vimos no que podíamos melhorar.

O fato é que a Powerade traz aos Jogos Rio 2016 muito mais do que a exposição da marca, trazem um produto inovador. Um cooler pensado para portadores de deficiência física, squeezes fáceis de utilizar, além de uma tecnologia informativa que estará disponível um dia antes dos jogos, na qual qualquer um com acesso à internet poderá consultar para saber o que aconteceu durante as competições e compartilhar nas redes sociais.

 

Uma equipe de especialistas em biomecânica para análise de desempenho e um isotônico que repõe quatro dos eletrólitos que o corpo perde durante a transpiração: sódio, potássio, cálcio e magnésio. Tudo isso completa as ações que serão utilizadas pela marca durante os Jogos Rio 2016, vamos aguardar!

 

*Crédito das fotos: Alexandre Loureiro

 

Escrito por Evandro Almeida Jr.

Graduando jornalismo.

Blog: esportudo.com

Twitter e Instagram: @evandrosajr

 

 

Please reload

Posts Recentes

Please reload

Siga

  • YouTube Long Shadow
  • Facebook Long Shadow
  • Instagram Social Icon